domingo, 4 de abril de 2010

Protestos e celebrações marcaram a Páscoa na Irlanda

Não é somente com orações e com chocolates que se comemora a Páscoa. Aqui na Irlanda, a ressurreição de Jesus Cristo também foi marcada com manifestações contra a Igreja e com celebrações e homenagens aos que lutaram pela independência do País.

Com a crise da Igreja Católica na Irlanda - decorrente aos abusos sexuais, físicos e psicológicos cometidos por padres no passado - algumas pessoas tentaram interromper a missa deste domingo na catedral de Dublin ao tentar colocar sapatos de crianças no altar para representar as vítimas. O arcebispo de Dublin, Diarmuid Martin, foi insultado por vítimas e parentes delas, mas a maioria foi "convidada" a se retirar, segundo as TVs locais. Alguns manifestantes levantaram cartazes nos quais se podia ler: "a Igreja Católica viola, abusa, destrói crianças e esconde (o escândalo), esconde".

Enquanto aconteciam  protestos contra Igreja Católica, os irlandeses também celebravam "A Revolta da Páscoa" de 1916, o primeiro grande passo para a Independencia da Irlanda, que acorreu somente em Dezembro de 1922.
Esta cerimônia pública - governamental  acontece todos os anos e faz homenagem aos que morreram neste levante, que aconteceu entre os dias 24 e 29 de abril de 1916, quando nacionalistas irlandeses tentaram derrubar as leis britânicas. Toda esta parte da história da Irlanda, voce poderá ler em meu blog, em um post anterior. Vale também uma clicada no: http://www.irlandanews.com/





Como a Páscoa significa o nascer para uma nova vida, sem dúvida, estes fatos são bons motivos para ser relembrados pelos Irish e que não podem ser esquecidos jamais. Dois grandes momentos que marcaram o "Renascimento da Irlanda". Duas grandes vitórias para este povo que ficou atrelado a Inglaterra e as rígidas regras da Igreja Católica durante muito tempo.



Para entender um pouco o que aconteceu na Irlanda durante esta época de recomendo o filme " Em Nome de Deus" - 2002.

"É para o convento das Irmãs Madalenas que são enviadas as meninas consideradas promíscuas. Baseado numa rígida e autoritária disciplina, as reclusas são obrigadas a fazer trabalhos forçados, a aceitar punições corporais e humilhações. Neste ambiente, três moças irlandesas, Bridget, Bernadette e Patricia, buscam razões e forças para sobreviverem. Baseado em fatos reais, "Em Nome de Deus" é um retrato comovente de uma sociedade regida sob uma deturpada visão católica, na qual há uma condencendência para com os homens, por eles estarem sempre sujeitos às tentações, enquanto que impera a intolerância em relação ao comportamento feminino. Além de abordar outras questões ainda mais tabuísticas e complexas como a crueldade e o materialismo das madres, a violação dos votos de castidade dos padres, a indiferença das família e o tênue limiar entre formação humana e corrupção. "Em Nome de Deus" é um belo filme erigido sobre uma terrível situação social, que vigorou até meados dos anos 90. Uma história cativante ao mesmo tempo que repulsiva, digna do peculiar cinema irlandês".

Título Original - The Magdalene Sisters
Diretor e Roteirista - Peter Mullan
Elenco
Anne-Marie Duff - Margaret
Dorothy Duffy - Rose / Patricia
Eileen Walsh - Crispina / Harriet
Geraldine McEwan - Irmã Bridget
Mary Murray - Una O'Connor
Nora-Jane Noone - Bernardette

3 comentários:

  1. Ótimo post, Danda! Estive mergulhado em algumas matérias sobre a pedofilia envolvendo os religiosos e posso dizer que é muito triste ver velhinhos chorarem ao contar que foram abusados na infância. A luta continua!
    bjão

    ResponderExcluir
  2. Absurdo esse lance de pedofilia, né?
    Ainda bem que os irlandeses estão mudando a maneira de encarar a religião,
    o Padre já não é a figura mais respeitada da sociedade, Graças a Deus.

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito dos artigos de seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver meu Curso de Informática online. Emily Nascimento.

    ResponderExcluir